Connect with us

Em destaque

teatromosca continua a dar destaque aos cruzamentos disciplinares

Publicado há

em

Depois do sucesso de “O Triunfo das Porcas”, uma coprodução do teatromosca com o Teatro Estúdio Fontenova, que, muito em breve, seguirá em digressão, esta companhia sintrense prepara-se para acolher a segunda parte do Ciclo de Performances no AMAS – Auditório Municipal António Silva, em Agualva-Cacém. Este ciclo decorrerá entre os dias 20 e 23 de maio, sempre às 21h, e, ao contrário da primeira parte, em março passado, quando os espetáculos foram transmitidos online, desta vez o público poderá estar presente no espaço que a companhia gere.

Para a temporada 2020-2021, o teatromosca propõe-se abordar uma série de conceitos que, de algum modo, se poderão relacionar com os vetores principais que orientam a programação deste coletivo teatral, quando identificou “Desafiar Fronteiras” como objetivo para este biénio. Assim, neste ciclo dedicado à performance serão apresentados espetáculos multidisciplinares que deverão colocar em tensão barreiras que tendem a separar diferentes expressões artísticas.

Neste segundo momento do Ciclo, o teatromosca acolherá um espetáculo de João Estevens, “Lost in Cyberia Pro 1.2”, no dia 20, projeto que, de um modo ainda mais atual, pretende fazer uma reflexão sobre a sociedade da informação e a era digital. Em “Lost in Cyberia Pro 1.2”, o performer está ausente atrás de um ecrã, existe apenas a internet e a presença omnisciente de um narrador de imagens, por vezes perdido entre a descrição de cidades à noite e a solidão do online.

No dia 21, será a vez de “This is Not For Sale e É Um Manifesto!”, de Maurícia | Neves, a partir de um manifesto escrito pela coreógrafa em 2013 aquando da presença da Troika em Portugal. Um espetáculo que circula em campos híbridos entre a performance, o concerto, o surrealismo, a Tvnews e Dj set. Já no dia 22, será apresentado “RITE OF DECAY”, de Joana Castro, espetáculo que esta criadora descreve como “uma dança sobre a morte ou várias mortes” e uma análise “do fim do mundo como uma metáfora para a nossa própria degradação”. O evento encerra com a performance “Casual Chic”, de Anouschka Freitas e Daniela Serra, tendo por base a recriação de um casting e levando-nos a refletir sobre a ansiedade que toma conta de alguém que vê naquele acontecimento uma oportunidade para o êxito.

Na semana seguinte, o teatromosca receberá a companhia de Castelo Branco, Terceira Pessoa. Ana Gil, Nuno Leão e Óscar Silva apresentarão “SENSO COMUM – Uma vaga lembrança de um espetáculo”, dia 29 de maio, às 21h. Este trabalho é um acontecimento performativo que resulta do conflito entre a leitura e a escrita do próprio espetáculo. É procurada a radicalização do textocentrismo, de modo a levar o espetador a não ter mais nada se não as palavras que se apresentam à sua frente. Segundo os autores desta criação, “é desta crueza que se abrem portas e janelas para poéticas que se constroem ao vivo e se moldam ao espetador, afundado-o numa ficção que, vista de longe, é comum a todo o público. Ao contrário do carácter fixo do poema, este texto vai-se evaporando ao longo do tempo, transformando-se em fenómeno. O que sobra é a memória que o texto nos deixa… a memória do espetáculo.”

Os bilhetes para os espetáculos encontram-se à venda na Ticketline e locais habituais. Poderão ser adquiridos individualmente entre 5 € e 7 € ou por via de um passe de acesso a todos os espetáculos do CICLO PERFORMANCE pelo valor de 16 €.

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade