Connect with us

A tua Revista

ADN da Escola Secundária Matias Aires

Publicado há

em

Imagens cedidas pela Escola

Este ano letivo, 2020/2021 é, sem sombra de dúvida, um dos mais desafiantes, como já tinha sido parte do ano letivo 2019/2020.

O funcionamento de um Agrupamento de Escolas teve necessariamente de ser repensado, por duas vezes, no regime presencial e no E@D (Ensino à Distância), em virtude da promoção da saúde de toda a comunidade escolar e da saúde de todos, no cumprimento de novas regras, essenciais à superação desta calamidade que estamos a viver.

A Mais Educativa entrevistou o Diretor do Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra, com sede na Escola Secundária Matias Aires, Dr. Luís Henriques, para perceber de que forma estão a ser vividos e geridos estes novos desafios educativos, pedagógicos e sociais, em resultado desta pandemia Covid-19 e as suas ambivalências.

Cada escola, tem o seu ADN, características únicas que as distinguem de qualquer outra escola, neste sentido, de que forma o Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra (AEAMS) se distingue de outros Agrupamentos e Escolas, em particular a escola secundária que é sede do Agrupamento?

O Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra, na sua configuração atual, foi constituído com efeitos ao dia 24 de abril de 2013. Desde então, tem havido um grande esforço para que esta entidade, enquanto unidade orgânica, funcione sob as mesmas regras e as mesmas orientações, através do seu Regulamento Interno e Projeto Educativo. No entanto, cada estabelecimento de educação e ensino que compõe o Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra, continua a ter, no seu âmago, a sua cultura, quer por via dos diferentes ciclos de ensino, quer por via de algumas pessoas que lá trabalham há já alguns anos, e são de facto as pessoas que fazem a “cultura de cada lugar”.

Como descreve este Agrupamento e os seus alunos, em particular, os do ensino secundário?

O Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra, estando integrado num território educativo de intervenção prioritário, apresenta caraterísticas decorrentes do público-alvo que serve, nomeadamente com dificuldades socioeconómicas. No entanto, apesar de dificuldades verificadas em algumas famílias, verifica-se que existem alunos motivados, trabalhadores e interessados em superar as suas dificuldades e atingir o sucesso escolar.

Quais os valores que considera serem fundamentais para serem transmitidos aos alunos do Ensino Secundário?

A minha visão para o Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra aponta para uma crescente melhoria do serviço público prestado à comunidade, assegurando a conciliação entre a inclusão escolar e um ensino-aprendizagem de qualidade, direcionado para a qualificação e o desenvolvimento de competências essenciais ao cidadão do século XXI, indo ao encontro do lema “Aprender uns com os outros, numa escola inclusiva”.

A missão do Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra visa a sua afirmação como uma organização aprendente, no sentido de promover um ambiente adequado à aquisição de conhecimentos, proporcionar aprendizagens de qualidade para alunos com diferentes caraterísticas e necessidades, promover a formação integral do aluno, assegurar respostas adequadas aos alunos, promover o desenvolvimento de competências exigidas pela sociedade atual. Com a finalidade de cumprir a missão, os principais valores a defender centram-se em cinco áreas: respeito, colaboração, responsabilidade pessoal e social; participação ativa e espírito crítico.

Relativamente a projetos escolares, quais são as apostas da Escola Secundária Matias Aires, sede do Agrupamento, e a que tem ensino secundário, para este ano letivo e os seguintes? Quais os projetos já concretizados pela escola que gostaria de destacar? Há prémios ou distinções que queira assinalar?

Apesar de o Agrupamento de Escolas Agualva Mira Sintra estar sempre envolvido em vários projetos de âmbito nacional, promovidos pelo Ministério da Educação e/ou pelo município de Sintra, destaco apenas alguns projetos que, apesar da pandemia, estão a funcionar neste ano letivo: Clube Robótica – aplicado a alunos do ensino secundário, tendo montado um carro movido a energia solar. A partir do próximo ano letivo, será aplicado também a alunos do 1.º ciclo; Clube de Badminton – alunos de todos os níveis de ensino do AEAMS e que já receberam vários títulos nacionais e regionais; PESES – alunos de todos os níveis de ensino do AEAMS; Clube de Cinema; Todos em Rede – projeto transversal a todo o Agrupamento, desde a idade pré-escolar com Filosofia para Crianças, mindfulness para crianças do 1.º ciclo e jovens do 3.º ciclo e aspetos relacionados com o apoio social; Academia de Líderes Ubuntu – abrange alunos das escolas Básica D. Domingos Jardo e Secundária Matias Aires.

Na sua perspetiva, quais são os maiores desafios que uma escola, e a sua em particular, enfrentam atualmente ao nível da educação e socialização, devido às restrições provocadas pela Covid-19?

De facto, este tem sido um tema que nos tem ocupado a maior parte do tempo. Desde que o vírus “chegou” ao nosso país, tivemos logo que elaborar um Plano de Contingência, de acordo com as informações e orientações que tínhamos, bem como em função do conhecimento do vírus e o seu modo de atuação e circulação. Depois, como todos sabemos… houve o confinamento geral determinado pelo Conselho de Ministros de 12 de março, e veio a suspensão das atividades letivas, com efeitos a 16 de março de 2020. Nessa altura e durante o fim de semana, todos os professores começaram a pensar como é que poderiam “chegar” aos seus alunos, de modo a que os jovens não ficassem simplesmente “sem fazer nada” e para que não perdessem o ritmo de trabalho e de aprendizagem. Essa fase foi bastante difícil, pois as escolas não estavam preparadas para poder acompanhar o ensino e a aprendizagem à distância. Recorremos às ferramentas disponíveis, e que nos eram mais familiares, como o e-mail, o Moodle, o uso do número pessoal de telemóvel, o WhatsApp e também o recurso a redes sociais. As reuniões de avaliação foram, pela primeira vez nas nossas vidas profissionais, realizadas através de videoconferência.

Durante a interrupção letiva da páscoa e após determinação do Governo em manter as escolas encerradas, passou-se a uma nova fase, que foi a da elaboração/planificação do “Ensino à Distância” (E@D), com o recurso generalizado a ferramentas e instrumentos digitais. Passou-se a utilizar o Google Classroom como sala de aula virtual, para repositório de informações e recursos de apoio ao ensino/aprendizagem, e o Google Meet, como espaço virtual de encontro e interação, entre professores e alunos. Durante esta fase houve formação para todos os docentes, no que respeita à abordagem e utilização das ferramentas digitais para a área da Educação, no Google. A partir de setembro tivemos que desenhar um plano de funcionamento das atividades letivas e formativas para o ano letivo 2020-2021, tendo em vista as diferentes modalidades (regime presencial, misto e não presencial).

Por último, que mensagem gostaria de deixar aos pais, pessoal não docente, professores e alunos, neste ano letivo tão atípico?

A mensagem que quero deixar a toda comunidade escolar (alunos, pais e encarregados de educação, professores e pessoal não docente) é que temos de ter esperança na vacinação no combate ao vírus, que esta seja disponibilizada da forma mais rápida, para que possamos voltar “ao normal”, independentemente do que venha a ser “o normal”, depois de ultrapassado e dominado este coronavírus, desde que possamos passar a viver sem todos estes sobressaltos.

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade