Connect with us

Escolas

Encarregados de educação e diretores querem que alunos desfavorecidos possam continuar a ir à escola

Publicado há

em

Imagem: unsplash/Andy Falconer
De recordar que as escolas encerraram as portas há cerca de duas semanas e as crianças e jovens, desde creches ao ensino superior, ficaram em casa, numa pausa de atividades letiva que terminou esta sexta-feira, dia 5.
A partir desta segunda-feira, dia 8, cerca de 1,2 milhões de alunos do 1º ao 12º ano de escolaridade retomam o ensino à distância, à semelhança do que tinha acontecido na primeira quarentena.

Contudo, esta situação deixo os representantes de pais e diretores escolares preocupados com os alunos mais desfavorecidos não possuírem o material necessário ao normal funcionamento escolar.

Segundo a agência Lusa, o presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), Rui Martins, admitiu recear que “algum aluno possa ficar esquecido” e disse que as escolas têm de assegurar “que estes alunos não sejam abandonados”.

Quanto ao ensino online que foi imposto no passado ano letivo pela primeira vez  , houve alunos que demonstraram dificuldade em assistir às aulas online e ter bom aproveitamento, tanto por falta de equipamentos como por falta de condições em casa.

Por este motivo, “Rui Martins sugere que as crianças e jovens em situação de maior fragilidade possam continuar a ir à escola, recorrendo às escolas de referência que se vão manter abertas para receber os filhos dos trabalhadores de serviços essenciais”.

Uma decisão que os diretores escolares, também concordam: “garantimos que esses alunos têm um acompanhamento melhor e mais eficaz não só durante as aulas síncronas, mas durante todo o dia, que aproveitariam para consolidar aprendizagens com o apoio de um professor.”

 

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade