Connect with us

Desporto & Saúde

Maria Amália volta a promover o corta-mato escolar

Beatriz Cavaca

Publicado há

em

No dia 20 de novembro, o jardim Amália Rodrigues voltou a ser palco do Corta Mato Escolar, organizado pelos alunos do curso profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva da Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho.

O percurso realizou-se num recinto com 1km de comprimento, onde mais de 320 alunos do Ensino Secundário se debateram para o completar entre subidas e descidas. A prova consistiu em duas voltas para raparigas e três voltas para rapazes.

Esta prova foi inteiramente organizada por alunos e contou com a participação de três escolas da zona das Avenidas Novas – a Escola Secundária de Camões, a Escola Profissional de Ciências Geográficas e a Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho. Para além da componente desportiva, os alunos tiveram a preocupação de se aliar a um projeto de solidariedade social de doação de bens de higiene à Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro.

Este evento é organizado por 26 alunos do curso profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva. Mariana Martinho, coordenadora geral do evento e aluna do 11.º ano, salienta que este evento é diferente dos restantes porque “é organizado por nós [os alunos]”. Realça também que este ano tiveram ainda mais sucesso, sendo que o “ano passado foram 250 [alunos a participar e] este ano já vamos em 321”. Já Tomás Teixeira, responsável pelas relações públicas do evento e aluno do 11.º ano, destaca a importância de organizar, enquanto aluno do Ensino Profissional, um evento deste tipo: “é importante para o nosso futuro e para o nosso trabalho, porque já temos mais experiência do que pessoas que estão no regular que estudam e nós fazemos eventos”.

Mariana Martinho, coordenadora do evento

Para André Reis, professor de Educação Física responsável pela participação da Escola Profissional de Estudos Geográficos, esta prova é muito importante por diferentes motivos: “em primeiro lugar, a questão da saúde e de eles estarem comprometidos com a disciplina de Educação Física. E, no fundo, é também proporcionar um momento em que eles possam conviver com outras escolas, visto que a nossa escola é muito pequena”.

Da parte do Liceu Camões, que já é repetente nesta iniciativa em conjunto com a escola organizadora, Paulo Alves, professor de Educação Física responsável pela participação desta escola, confirma a grande importância deste evento, marcando um “ponto importante do ano letivo, na medida em que permite que os alunos saiam da sua escola e passem uma manhã ao ar livre a fazer desporto”. Também o diretor João Jaime Pires ressalva a aposta que a escola tem feito nos últimos anos no Desporto Escolar e que se completa nestes eventos: “nós temos um grupo de Educação Física com uma boa dinâmica, temos dez modalidades de Desporto Escolar, desde vela, golfe, basquetebol, atletismo, é uma diversidade muito grande e portanto acho que a escola dá uma boa resposta no que diz respeito a Desporto Escolar”.

Por outro lado, o professor Artur Ferreira da Silva, representante do Desporto Escolar da Escola Maria Amália Vaz de Carvalho, confirma que este evento “é importante para fazer a ponte entre aquilo que se passa na escola e aquilo que pode ser projetado para fora. Acima de tudo, é levar a escola para fora e mostrar o trabalho que fazemos porque isto é a tradução do que acontece na escola. Os miúdos não vêm para aqui correr se não tiverem hábitos de corrida e desportivos”. Relembra também que a escola tem nove núcleos de Desporto Escolar, tendo como prioridade uma “oferta bastante diversificada para os alunos”.

Aquecimento efetuado pelo Clube VII

Para tornar este evento possível, o mesmo teve inúmeras parcerias, entre elas o Clube VII, um ginásio da zona das Avenidas Novas, que organizou o aquecimento da prova, numa ótica, segundo o seu representante Francisco Lopes, antigo aluno da Escola Secundária Maria Amália Vaz de Carvalho, de “fomentar a atividade física nas escolas que é algo que está a aparecer de novo e o Clube VII gosta de incentivar”. Esta parceria revelou-se importante para os alunos, pondo-os em contacto com um local dedicado ao desporto e que lhes pode vir a promover contactos e experiência.

Outros parceiros estiveram presentes neste dia, entre eles a Junta de Freguesia de Avenidas Novas, representada por João Maltês, assessor do vogal do desporto, que transmitiu que o papel da Junta “é transversal a todas as áreas, desde logo cuidar dos espaços da freguesia, cuidar das preocupações dos jovens, cuidar das preocupações das escolas”, daí estarem presentes no evento. Aqui em particular, a Junta de Freguesia em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa concentraram-se em “permitir o acesso e sobretudo a utilização deste espaço e isso engloba todo um cuidado que é preciso ter”.

João Maltês realça ainda a importância que projetos como este têm no contexto do Desporto Escolar, dando o mérito às escolas “porque são elas que têm o mérito da realização desta atividade e porque também o Desporto Escolar e o programa de implementação do Desporto Escolar depende da boa implementação destas escolas e nós podemos pensar e o governo pode pensar, a nível nacional um programa de Desporto Escolar, mas se as escolas não o aplicarem bem, não conseguirem executar esse plano acaba por não ter nenhum impacto a nível local e esse mérito é das escolas tendo aqui um exemplo de escolas que sabem executar esse programa”.

Esteve também presente um representante do PNED/IPDJ (Plano Nacional de Ética no Desporto/ Instituto Português do Desporto e Juventude), André Carvalho, para por um lado “louvar a iniciativa e a promoção da prática desportiva” e, por outro, promover “o desenvolvimento de valores como o respeito e como a cooperação”, com vista a um desporto inclusivo como o que aqui aconteceu.

No contexto de um desporto inclusivo, esta prova é aberta a alunos invisuais apoiados pela Associação Jorge Pina. Nesta competição em particular, participou Abdulai acompanhado do seu guia, que recebeu uma distinção especial de Jorge Pina, presente no evento e na entrega de prémios.

Abdulai a ser distinguido pela Associação Jorge Pina. (Da esquerda para a direita: assessor do vogal do desporto da Junta de Freguesia das Avenidas Novas, Abdulai, guia do Abdulai e Jorge Pina)

A prova terminou em festa com a vitória nos rapazes de Afonso Beijão, seguido de Pedro Raposo e de Tomás Lemos, em segundo e terceiro lugar respetivamente.

O pódio masculino (Da esquerda para a direita: Pedro Raposo, Afonso Beijão e Tomás Lemos)

Na prova feminina, a vitória coube a Carolina Marçal, seguida de Joana Jorge, em segundo lugar, e de Cláudia Reis, em terceiro.

O pódio feminino (Da esquerda para a direita: Joana Jorge, Carolina Marçal e Cláudia Reis)

Na entrega dos prémios estiveram presentes os diferentes parceiros do evento e elementos da organização, entre eles, Mariana Martinho, que agradeceu a presença de todos e congratulou a equipa de alunos que organizou esta prova com sucesso bem como a ajuda do professor José Carvalho, que todos os anos suporta esta organização dos alunos do curso profissional.

O evento terminou com muita alegria, confirmando o mote lançado por Mariana Martinho, a coordenadora do evento este ano: “Todos eles gostam, mesmo os que perdem!”.

Discurso da entrega de prémios (Da esquerda para a direita: José Carvalho, professor de Educação Física, e Mariana Martinho, coordenadora do evento)

No próximo ano, serão os alunos atualmente no 10º ano a organizar, esperando, naturalmente, conseguir atrair ainda mais alunos e instituições a participar nesta festa do Desporto Escolar.

Colaboração com a Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro:

No final da entrega de prémios foi ainda lançada uma campanha de solidariedade da Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro,  uma associação que ajuda famílias de crianças vitimas de cancro.

Esteve presente na prova a sua representante Patrícia Luz, que revelou que os alunos “quiseram para além da organização do corta-mato aliar-se a um projeto de responsabilidade social e escolheram a nossa associação, e paralelamente a esta corrida estão a fazer recolha de bens de higiene para depois poderem entregar à Acreditar e então depois nós entregamos às famílias que mais necessitam”.

Patrícia Luz acrescentou ainda que, para além dos jovens se juntarem para organizar eventos desportivos, também por causas solidárias os jovens se unem hoje em dia, contando que a Acreditar tem muitas escolas a querer colaborar com eles e os jovens na faixa etária do Ensino Secundário podem colaborar com a instituição de inúmeras maneiras, podendo mesmo ser voluntários a partir dos 18 anos.

[Imagens: Beatriz Cavaca]

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PGlmcmFtZSAgc3R5bGU9ImRpc3BsYXk6IGJsb2NrOyBtYXJnaW46IDBweCBhdXRvOyIgIGlkPSJfeXRpZF85NDI5MSIgIHdpZHRoPSI0OTAiIGhlaWdodD0iMjc2IiAgZGF0YS1vcmlnd2lkdGg9IjQ5MCIgZGF0YS1vcmlnaGVpZ2h0PSIyNzYiIHNyYz0iaHR0cHM6Ly93d3cueW91dHViZS5jb20vZW1iZWQvUmdEV0xqV1I5LWs/ZW5hYmxlanNhcGk9MSZhdXRvcGxheT0xJmNjX2xvYWRfcG9saWN5PTEmcmVsPS0xJml2X2xvYWRfcG9saWN5PTEmbG9vcD0wJm1vZGVzdGJyYW5kaW5nPTAmZnM9MSZwbGF5c2lubGluZT0wJmF1dG9oaWRlPTImdGhlbWU9ZGFyayZjb2xvcj1yZWQmY29udHJvbHM9MSYiIGNsYXNzPSJfX3lvdXR1YmVfcHJlZnNfXyBuby1sYXp5bG9hZCIgdGl0bGU9IllvdVR1YmUgcGxheWVyIiAgYWxsb3c9ImF1dG9wbGF5OyBlbmNyeXB0ZWQtbWVkaWEiIGFsbG93ZnVsbHNjcmVlbiBkYXRhLW5vLWxhenk9IjEiIGRhdGEtc2tpcGdmb3JtX2FqYXhfZnJhbWViamxsPSIiPjwvaWZyYW1lPg==