Connect with us

Entrevista

Pedro Gonçalves: “Sentir que as pessoas estão ali a viver aquele momento connosco e que estão felizes, que esquecem tudo o resto: essa é a melhor sensação do mundo.”

Publicado há

em

Este rapaz talentoso já quase nasceu a cantar e a atuar. Participou no The Voice e desde muito cedo que trata os palcos por tu… Adora partilhar os covers que faz das suas músicas favoritas no Instagram, no Facebook e no Youtube: mas é ao vivo que diz sentir melhor o carinho e o feedback positivo dos fãs – e essa é, para Pedro Gonçalves, a melhor sensação do mundo!

 

COMEÇASTE NO YOUTUBE. COMO FOI SALTAR DE DETRÁS DAS CÂMARAS PARA OS PALCOS?

Foi das melhores experiências da minha vida! Eu adorava e adoro cantar para o YouTube, para o Instagram, ter o Feedback das pessoas. Mas ver a reação ao vivo, sentir o carinho de toda a gente que está lá a ouvir-me… É tão bom. Não troco nada por isso. Pelos olhares, pelos sorrisos. Sentir que as pessoas estão ali a viver aquele momento connosco e estão felizes, esquecendo tudo o resto, os problemas, as coisas más, é a melhor sensação do mundo.

 

QUAL O TEU GÉNERO MUSICAL DE ELEIÇÃO?

Essa é uma pergunta super difícil! Depende sempre do meu mood e do que estou a fazer. No geral, penso que o que mais ouço é Pop/R&B e Rock. Mas ouço mesmo muito Hip-Hop, Trap, Metal, tantos géneros diferentes que é mesmo difícil escolher. Não costumo ser esquisito com música, desde que passe alguma mensagem, nem que seja a felicidade e a dança, eu estarei lá para ouvir e apreciar.

 

A QUE ARTISTAS VAIS BUSCAR INSPIRAÇÃO?

São vários os artistas com quem mais me identifico! Neste momento, posso dizer que Ed Sheeran, James Arthur, The Weeknd, 6lack são as principais influências. Ou pelas melodias, ou pelas letras. São pessoas que me inspiram bastante. Mas adoro descobrir artistas novos, pessoas com tanto talento que me deixam mesmo feliz e inspirado para fazer mais e melhor música.

 

E FORA DO MUNDO DA MÚSICA, QUEM MAIS TE INSPIRA?

Tenho várias fontes de inspiração, mas sem referir cineastas ou escritores que me inspiram, penso que o meu avô é uma das pessoas que mais admiro e que mais inspiração me dá. O meu avô tem uma veia poética que eu adoro.

 

FICAS MUITO NERVOSO ANTES DOS CONCERTOS? É PIOR NOS GRANDES CONCERTOS OU NAQUELES MAIS INTIMISTAS?

Sinto sempre algumas borboletas na barriga, mas não fico muito nervoso, fico mais ansioso! Ansioso de pisar o palco e ver a reação do público. Quando o concerto é maior, sinto até que é mais fácil do que um concerto intimista. Num concerto intimista sentimos mais os olhares, as reações imediatas. Apesar de ser uma sensação incrível, deixa-nos sempre mais nervosos, sempre a pensar “e se correr mal?”. Mas, sinceramente, essas borboletas aparecem antes das atuações. À medida que vamos cantando, tudo parece que vai desaparecendo e só aproveitamos o momento ao máximo.

 

COMO FOI A EXPERIÊNCIA DE PARTICIPAR NO THE VOICE? SENTES QUE APRENDESTE MUITO?

Apesar de já ter alguns anos, é algo que ainda hoje me deixa muito feliz. Conheci pessoas incríveis e super talentosas. Cresci, não só enquanto artista, mas como pessoa, com ensinamentos tão importantes de pessoas tão icónicas da música portuguesa. Olhando para trás, a experiência foi também um pouco stressante. Mesmo tendo muita coisa boa, sinto que me deixei levar muitas vezes pela pressão, pelo que as pessoas iam pensar, não aproveitando tanto aquele palco e o que estava a fazer. Mas claro, é só um programa de televisão. Em nada vai definir a carreira de álguem. O importante é mesmo o trabalho pós-programa.

 

SE PUDESSES ESCOLHER ALGUÉM COM QUEM FAZER UM DUETO, QUALQUER PESSOA NO MUNDO, QUEM ESCOLHIAS?

Escolheria o Kanye West, sem hesitar! É um músico que eu admiro mesmo muito. É um génio musical e era uma honra enorme algum dia eu poder apenas sentar-me com ele numa mesa a falar de música.

 

QUAIS AS MÚSICAS QUE AGORA NÃO FALTAM NA TUA PLAYLIST?

 

As minhas Playlists, por norma, são sempre gigantes! Nunca consigo escolher as músicas que mais gosto e acabo sempre por ter centenas de músicas! Neste momento, as que mais tenho ouvido, são a “Leave a Light On” do Tom Walker, a “Let me Down” da Jorja Smith e a “bury a friend” da Billie Eilish. Mas, como disse, é muito difícil escolher!

 

PODES REVELAR-NOS ALGUM PROJETO QUE TENHAS PARA O FUTURO?

Vem aí uma coisa nova! Estou finalmente a fazer a transição dos covers para as minhas músicas, as minhas letras que sempre escrevi e quis partilhar com as pessoas que me seguem! Posso dizer que, brevemente, vai sair um dueto com um artista que eu adoro, um amigo meu, para o qual já tive o prazer de compor algumas canções! É esperar para ouvir. Entretanto, os meus singles vão continuar a sair, com a esperança de um álbum de originais no horizonte! Talvez em 2020… quem sabe!

 

 

[Foto: Cedida pelo entrevistado]

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado.

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade