Connect with us

Novidades

Que tipo de aluno és tu?

Avatar

Publicado há

em

Os exames nacionais vêm aí e há várias maneiras de lidar com eles. És aquele tipo de aluno que tem tudo na ponta da língua no dia da prova? Ou pertences ao grupo dos mais preguiçosos e para ti é um sacrifício começares a estudar?

Cada um tem o seu próprio método de estudo, mas é claro que há vantagens em saber organizá-lo da melhor forma para gerir bem o tempo. A Mais Educativa vai ajudar-te para que dês o teu melhor e diz-te quais os truques para tirares o maior proveito do teu potencial!

1. O esquecido: O típico aluno que chega ao exame totalmente desprevenido porque nem sequer sabia que ele estava marcado! Não se lembra da data dos testes, não leva o material necessário e às vezes até se faz de esquecido…!

CONSELHO: Se tens memória de peixe e achas que isso nunca vai mudar, por que não comprares uma agenda para apontares as datas dos exames? Se provavelmente te vais esquecer de ir à agenda, não tens desculpas – põe um lembrete no teu telemóvel e assim saberás atempadamente o que vai acontecer nas semanas seguintes! Outra alternativa é usares post-its na secretária do teu quarto ou nos cadernos para te relembrares das datas importantes que se seguem.

2. O nervoso: “Vamos ter exame daqui a dois meses? Oh meu Deus! Não vou aguentar, que stress!” – é assim que o mais ansioso da turma reage. Ele costuma ir para a porta da sala do teste duas horas antes e começa a “fritar a pipoca” uns bons meses antes da avaliação. Às vezes os nervos são tantos que se esquece de responder à última pergunta do teste porque não a viu com a ânsia de querer controlar tudo!

CONSELHO: Uma pessoa fica sob stress quando sente que o grau de exigência da situação é superior à sua capacidade de resposta. Há alunos que têm pavor dos exames, enquanto outros reagem com tranquilidade. De acordo com o psicólogo e formador Bruno Braz, “quando estamos sob stress, há que utilizar estratégias de coping eficazes” [métodos orientados à redução da ansiedade] focadas nos problemas, nas emoções e comportamentos. No primeiro caso, há que “estabelecer um plano de ação e segui-lo até eliminar de vez a causa da ansiedade, evitando que esta se prolongue para um estado desagradável e prejudicial ao nosso bem-estar. As estratégias de coping focadas nas emoções requerem abordagens comportamentais, em que muitas vezes os alunos procuram o apoio familiar, dos amigos ou fazem atividades que os distraiam das preocupações”.
A Maria Miguel Carlos foi considerada a melhor aluna do mundo nos Exames Internacionais da Universidade de Cambridge, e ela diz que a melhor forma de lidar com os exames é “tentar conciliar os hobbies, para descontrair, com o estudo”. Assim, há uma maior concentração e estudas de forma mais rentável. Também é importante “olhar para a época de exames de uma maneira descontraída, procurando não colocar demasiada pressão em nós e confiar que o nosso estudo e empenho durante o ano irá dar frutos. A auto-confiança é essencial para uma boa concretização”.

3. O descontraído: “Tá-se bem” é o lema da vida deste aluno. Ou por ser inteligente, ou por estar atento às aulas e estudar, ele encara os exames com uma grande descontração e acaba por passar por esta fase sem grandes stresses. É o típico aluno que não precisa de estudar muito para tirar boas notas.

CONSELHO: Se te identificas com o “descontraído”… Parabéns! Não precisas de muito para melhorar. O único conselho é focares-te naquilo que queres fazer no futuro e levares toda essa descontração e inteligência para a área em que um dia irás trabalhar. Foi assim que a Patrícia Resende se tornou na melhor aluna de Portugal, ao encarar os exames de forma descontraída e a preparar-se o mais cedo possível: “Se o estudo for contínuo e se o fizermos com vontade, as coisas acabam por acontecer com mais facilidade!”

4. O competitivo: Vê a escola como uma competição. Este tipo de aluno estuda muito e quer tirar botas notas, não para cumprir os seus objetivos pessoais e escolares, mas para ser o melhor da turma!

CONSELHO: A competição deve ser saudável. Na escola, o melhor é esforçares-te para teres as melhores notas mas a pensar em ti e no teu futuro, e não para seres melhor do que os outros. Não te esqueças que tu és o principal responsável pela tua vida e ninguém vai fazer as coisas por ti.

5. O engraçadinho: Para ele, a vida é uma piada! Este é o tipo de aluno que vê graça em tudo, até mesmo quando o assunto é serio. Usar o humor para responder às perguntas do exame é um dos típicos comportamentos do “engraçadinho”.

CONSELHO: Há tempo para tudo na vida, e nem todas as coisas devem ser levadas na brincadeira. Se és um daqueles alunos que faz piadas nos exames e que responde de maneira cómica às perguntas, não te esqueças que te estás a distrair a ti, que podes estar a fazer o mesmo aos teus colegas e que também estás a faltar ao respeito ao teu professor.

6. O “Indiferente”: Não se importa. Para ele, tanto faz tirar 15 valores, como uma negativa… Estuda aquilo que considera necessário e, caso tenha boa nota, faz um sorriso. Se não, também não é o fim do mundo…

CONSELHO: Aprende a dar sentido à vida, descobre algo que te motive e encontra a tua ambição. Todos nós queremos ser alguém na vida e esse percurso começa na escola. Ela prepara-nos para isso no tempo certo. O psicólogo Bruno Braz entende que é “necessário salientar as vantagens que poderão advir para a vida futura dos alunos que estudarem, comparativamente às desvantagens de não o fazerem”. O mesmo disse a Maria Miguel Carlos: “Para me motivar, penso no futuro. Só eu o posso ditar e, no meu caso, penso em ser médica. No final vai tudo valer a pena porque vou conseguir fazer aquilo que amo e agora estou a preparar-me para isso”.
Também é bom dar valor às pessoas que nos apoiam no percurso escolar. O nosso sucesso depende de nós mas a família acaba por ter um papel importante na nossa vida: “Honestamente também penso nos meus pais, que investiram tanto na minha educação e sempre me apoiaram durante todo o meu percurso académico, também merecem que tudo corra bem, que tanto o meu esforço como o deles seja recompensado”, disse a Maria.

7. O negativo: Este é o tipo de aluno que já desistiu de acreditar e, mesmo que tenha tudo na ponta da língua, acha que vai ter negativa… No final, percebe que passou na disciplina com 18 valores!

CONSELHO: Não te esqueças que a negatividade não te leva a lado nenhum, a não ser à ansiedade. Ver a vida de forma positiva é sempre mais fácil. Claro que não se pode confundir realidade com negatividade, mas ver o lado bom das coisas ajuda-te a encarar as alturas mais exigentes numa perspetiva mais leve.

8. O nerd: Começa a prepara-se atempadamente para os exames e aplica-se ao máximo para dominar a matéria. Por vezes, estuda mais do que aquilo que é suposto através de pesquisas complementares e perde-se com tanta informação!

CONSELHO: Se és o típico aluno estudioso, estás no bom caminho! Mas é bom relembrar que o teu cérebro também precisa de descansar, até para assimilar melhor a matéria. Foi assim que fez aquela que foi considerada a melhor aluna do mundo, e deu resultado: “Tento descontrair e fazer desporto, tirar a minha mente do stress que ronda a época de exames. Também tento não sobrevalorizar em demasia a situação. Estudo com intervalos, por exemplo, foco-me durante hora, hora e meia, e faço pausas de 15 minutos”.

9. O preguiçoso: Este é o típico aluno que deixa tudo para a última da hora. Ele tem capacidades e é inteligente, mas espera sempre que os outros estudem por ele para depois pedir as respostas.

CONSELHO: Pensa nos exames como mais uma etapa apenas para depois fazeres aquilo que realmente gostas e, sobretudo, para teres as tuas merecidas férias! Nem tudo é fácil… mas são os pequenos esforços que fazem toda a diferença e, no final, o trabalho acaba por ser recompensado.

10. O cábulas: Vê em tudo uma oportunidade para “copiar”. É o aluno que costuma fazer cábulas em todo o lado e está sempre a inventar novas técnicas. Deixando-se ou não apanhar, tem sempre uma desculpa na ponta da língua e o seu lugar favorito é na última fila, para que ninguém o veja a olhar para o exame do colega do lado…!

CONSELHO: A escola dá ensinamentos para a vida e, se aprenderes, mais tarde irás agradecer à instituição todo o conhecimento que te foi transmitido e que é necessário à tua vida futura. Isto para não falar dos riscos que corres em ser apanhado… não é de todo boa ideia. Deixa-te disso e mostra o que vales!

 

Descansa bem antes da prova
No dia anterior ao exame, tenta dormir no mínimo 8 horas e ocupa o teu cérebro com atividades que te distraiam do stress. Podes rever a matéria ou provas de anos anteriores para teres a certeza que estás familiarizado. Foi assim que a Maria Miguel Carlos fez: “Na véspera dos exames costumo ver imensos exames antigos durante a parte da manhã e da tarde, e depois à noite simplesmente relaxo e faço questão de dormir pelo menos 8 horas antes de um exame, pois penso que uma boa noite de descanso é meio caminho andado para ter sucesso. Às vezes também costumo ir passear quando me sinto muito stressada”;

Organiza o teu estudo
“A efetividade do estudo depende não só do conhecimento das estratégias adequadas e de como aplicá-las, como também da organização, planificação e duração do estudo. Existem várias técnicas que poderão ajudar no momento em que temos de estudar, mas esse trabalho deve ser feito com tempo e isso requer uma organização”, aconselha-te o psicólogo Bruno Braz, acrescentando que deves preparar o espaço e o material de que precisas para estudar, e fazê-lo todos os dias da semana, por períodos de 30 a 40 minutos, com pausas de 5 a 10 minutos. “É necessário fazer resumos da matéria, isto é, extrair as ideias principais, e isso exige concentração, capacidade de síntese e domínio da expressão oral e escrita. Tendo em consideração que o nosso cérebro funciona por esquemas mentais, é necessário que sintetizes os conteúdos, de forma breve e precisa”;

Alimenta-te bem
A forma como te alimentas influencia muito a tua predisposição para os exames. Quando se estuda de forma intensiva, é importante fornecer energia suplementar ao cérebro e isto não significa comer mais, mas comer bem. O consumo de ácidos gordos ómega-3 é importante (salmão, carapau, sardinha ou robalo). Os legumes também são uma boa fonte de energia e não deves esquecer a sua importância para o cérebro, pois ajudam a melhorar a capacidade de concentração e de aprendizagem. E, claro, não te esqueças de beber muita água para te manteres hidratad@;

Começa a estudar atempadamente
Não deixes tudo para a última! Assim, terás mais do que tempo suficiente para te organizares. Foi assim que a Patrícia Resende fez e teve 20 valores no exame: “A nota obtida foi resultado de todo o estudo e aprendizagens que adquiri ao longo do tempo, e o exame não foi uma coisa com que me tivesse que preocupar tanto”;
Prepara-te: De acordo com o psicólogo Bruno Braz, “ninguém sabe se está ou não preparado para o exame, mas se fizemos tudo o que estava ao nosso alcance, devemos ter uma atitude descontraída”. Uma perspetiva que é partilhada pela Maria Miguel Carlos, que foi estudando ao longo do ano e quando chegou a altura dos exames, já só fazia revisões: “Sei que estou preparada quando sinto que não há muito mais que possa estudar ou fazer por aquele exame, quando sinto que já vi tudo, que as coisas me entraram na cabeça e que posso dormir descansada”;

Não entres em stress: Se começares a “panicar”, faz uma pausa e apanha um pouco de ar. Quando se tem ansiedade, o estudo acaba por não ser produtivo e não consegues reter grande informação. Mentaliza-te de que os exames são apenas uma fase e que não devem pôr em causa o teu bem-estar. Se te dedicares a 100%, não tens motivos para estares preocupado!

E… Boa sorte!

[Texto: Mariana Morais]

Lê este e outros artigos na edição de abril da revista Mais Educativa! Encontra-a aqui ou na tua escola!

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *