Connect with us

Desporto & Saúde

eSports: Jogar a sério!

Publicado há

em

Esqueçam a conversa de brincar aos videojogos. Os torneios eSports estão a tornar o gaming num dos maiores desportos a nível mundial, e em Portugal já temos uma grande comunidade de jogadores com muito skill. A eles acaba de se juntar um dos maiores clubes portugueses, que aposta agora nos eSports com um campeão do mundo de FIFA ao comando!

Os desportos eletrónicos – ou eSports – são hoje uma verdadeira indústria, com cada vez mais equipas e praticantes profissionais, e com cada vez mais videojogos criados com estas competições em mente. Em 2015, cerca de 226 milhões de pessoas assistiram a competições de eSports, num mercado que a nível mundial gerou qualquer coisa como 325 milhões de dólares, e que em 2016 deverá atingir os 493 milhões.

Em Portugal, este desporto está na fase de transbordar para o mainstream, ou seja, as pessoas que normalmente não teriam contacto com este mundo estão a começar a interessar-se pelos eSports. Quem o diz é João “Ildurnest” Sobral, gamer e membro da Associação Grow uP Gaming, uma das principais comunidades de jogadores em Portugal, e que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento do gaming no nosso país.
Ao falarmos com ele, ficámos a saber que os nossos atletas já estão num nível muito elevado, a competir em ambientes extremamente competitivos pelos primeiros lugares em jogos como League of Legends, Counter Strike: Global Offensive, Hearthstone, Overwatch, Rocket League, Pro Evolution Soccer, FIFA, Starcraft ou DotA2. De acordo com este especialista, irá haver “cada vez mais jogos dentro dos eSports, que trarão cada vez mais jogadores e mais pessoas interessadas em seguir as equipas e os eventos”.

Um dos maiores desportos do mundo
Para João “Ildurnest” Sobral, os eSports serão, dentro de pouco tempo, um dos desportos mais populares em todo o mundo. Este boom surge, na sua opinião, “do crescimento natural do gaming, que ao longo do tempo sofreu a sua evolução tecnológica ao nível do realismo e do balanceamento competitivo, e permitiu a massificação dos jogos e consequentemente do número de praticantes de desportos eletrónicos”.
Em adição a isso, o surgimento do projeto da RTP Arena veio ajudar à exposição dos eSports, e neste momento começa a surgir o interesse dos clubes desportivos nos desportos eletrónicos – o Sporting é o primeiro clube a fazer dos eSports modalidade oficial.
Junta tudo isto, os múltiplos milhões de dólares que ganham os melhores em prémios de jogo no League of Legends ou no Hearthstone, os estádios que se enchem para os ver jogar e os recordes que se quebram em visualizações online (334 milhões no Campeonato do Mundo de LoL em 2015), e tens o cocktail perfeito que pode transformar os eSports numa das modalidades mais populares no planeta.

Os eSports no Sporting Clube de Portugal
O Sporting é o primeiro clube português a apostar nos eSports, fazendo dos desportos eletrónicos a 48ª modalidade oficial da instituição. Márcio Figueiredo é um dos responsáveis pelo departamento de eSports dos leões, e refere que esta é “cada vez mais uma tendência, com vários clubes europeus e mundiais a apostar fortemente nos eSports. Os dois mais recentes são o Paris Saint-Germain, em França, e o Sporting em Portugal”.
E para o caso de não saberes, a La Liga em Espanha e a League 1 em França (isto é, os dois principais campeonatos de futebol) já começam a envolver-se com os eSports, formando uma liga onde competem os melhores jogadores e clubes. O Sporting acredita que, em breve, o mesmo irá acontecer em Portugal.
O Sporting tem como objetivo fazer crescer os eSports no nosso país e proporcionar aos melhores jogadores lusos a oportunidade de representar um dos maiores clubes da Europa. A partir daí, o clube “quererá sempre atacar todos os títulos e torneios com toda a força, de que é exemplo a competição oficial da organização FIFA, onde vários clubes competirão entre si no FIFA 17”, de acordo com Márcio Figueiredo.
O primeiro atleta a representar oficialmente o Sporting nos eSports é o Francisco “Quinzas” Cruz – podes conhecê-lo melhor mais à frente neste artigo –, ele que foi o mais jovem campeão do mundo de FIFA, e o único português a alcançar tal feito até hoje. Entretanto, está já a decorrer o torneio G2A Lion Games, através do qual o clube irá recrutar mais 4 jogadores de FIFA. Por isso, se alimentas o sonho de um dia jogares com a camisola do Sporting, fica atento às competições de scouting que vão continuar a surgir!

A entrevista ao melhor português no FIFA
Começou a participar em torneios aos 14 anos, e aos 16 sagrou-se campeão da FIFA Interactive World Cup. O Francisco “Quinzas” Cruz é o primeiro jogador de eSports em Portugal a assinar contrato com um grande clube, e conta-te na primeira pessoa como tem sido esta aventura.

Ainda eras muito novo quando decidiste apostar a sério em jogar FIFA em torneios. Com essa idade pode parecer simples tomar essa decisão, mas a verdade é que precisaste de sair da tua zona de conforto… O que é que te levou a fazê-lo?
Comecei a jogar FIFA muito novo, e com 14 anos fui ao meu primeiro torneio. Sempre tive essa ambição de participar em torneios porque queria saber o meu nível neste mundo competitivo. Procurei vários torneios na Internet, e depois do primeiro nunca mais parei!

Muito rapidamente conseguiste um 3º lugar, e depois um título, em Campeonatos do Mundo. Foi aí que a tua carreira disparou? Em que momento é que decidiste fazer dos eSports a tua atividade profissional?
Infelizmente ainda não consigo ter um retorno financeiro que me permita ser profissional de FIFA. No entanto é um hobby que gosto muito, ao qual dedico muito tempo e que já me fez conhecer muitas cidades, nomeadamente Los Angeles, onde me sagrei campeão do mundo!

O que andavas a fazer quando o Sporting te foi buscar? Como é que esse contacto aconteceu?
Ando a tirar o curso de Economia na Universidade do Porto, e era esse o meu principal foco na altura em que o Sporting me contactou. O contacto surgiu com alguma naturalidade, pois sou o único jogador português com um título internacional.

Explica-nos como é o dia a dia de um jogador de eSports profissional e, neste caso, do Sporting. Praticas no clube, viajas para jogar contra jogadores de outros clubes, participas em torneios? Como funciona?
Não é muito diferente de um jogador normal. Pratico em casa, o máximo de horas diárias possíveis. Tento ter conhecimento do maior número de torneios, e participar para tentar ganhá-los. Relativamente ao treino, tento jogar contra os melhores jogadores do mundo, pois assim elevo o meu nível.

Que razões encontras para o “boom” dos eSports, ao ponto de termos um clube como o Sporting a criar essa modalidade? Na tua opinião, onde vai chegar este desporto?
Este desporto vai chegar muito longe, sem dúvida! Esta geração dedica-se muito aos videojogos e cada vez mais participa em competições. No curto/médio prazo, os eSports vão crescer significativamente e nós, jogadores, estamos expectantes por esse crescimento!

Não é incrível que, jogando o teu videojogo de futebol de eleição, já tenhas conhecido alguns dos melhores jogadores do mundo? Nalguns casos até fizeste um jogo com eles… É o que se pode chamar um sonho de criança tornado realidade…
Sim, tive oportunidade de conhecer o Messi, o Rooney, o Xavi, o Iniesta, o Piqué, o Vidic, o Neymar, o Guardiola e outros, tudo graças ao FIFA. Estive presente na gala da FIFA no ano em que me sagrei campeão do mundo, e era inacreditável a naturalidade com que as grandes estrelas do futebol passavam à minha frente. Foi surreal!

Queres ser um jogador de elite?
Pedimos à Grow uP Gaming e ao Quinzas para dar uns conselhos a quem tem a ambição de ser um gamer profissional. E o jogador do Sporting não tem dúvidas: “A prática leva à perfeição!” Para ele, “o treino” é essencial “a quem quer chegar ao topo”. Depois? Bom, depois, “tenta jogar com os melhores e ver o que eles fazem para ter sucesso”. O Quinzas aconselha-te ainda a “acrescentar as melhores técnicas deles ao teu jogo”, e “a ser inteligente”, porque o FIFA “é um jogo de estratégia, tal como o futebol real”!

A Grow uP Gaming tem, por seu lado, uma palavra-chave para ti: trabalho. É ele “que realmente separa os bons jogadores dos excelentes”, e “a dedicação, o treino, a perseverança, a vontade de aprender, evoluir e fazer cada vez melhor são pontos necessários para se alcançar um patamar superior”, assegura o João “Ildurnest” Sobral.
Para além disso, “uma estrutura de suporte ao nível da família e amigos é também bastante importante para a estabilidade emocional e mental de um jogador”, na opinião desta organização, e nos jogos de equipa, é “fundamental respeitar os colegas e os adversários e manter um ambiente coeso e robusto, capaz de debelar qualquer dificuldade”.
É um processo complexo, onde nem todos podem chegar ao topo, mas se deres um passo de cada vez e se mantiveres os pés assentes na terra, tudo é possível!

[Reportagem: Tiago Belim]
[Fotos: Sporting Clube de Portugal]

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade