Connect with us

A tua Revista

Receitas mais saborosas e menos calóricas

Rita Costa

Publicado há

em

No nosso dia a dia estamos constantemente rodeados e expostos a alimentos densamente calóricos e com calorias vazias, ou seja, alimentos muito densos em calorias, mas com pouco ou nenhum valor nutricional (benefício para a saúde). Entre este tipo de alimentos, temos alguns exemplos como os hidratos de carbono simples que são rapidamente absorvidos a nível intestinal (comummente chamamos de açúcares). Estes levam a um pico de açúcar no sangue, levando a pouca saciedade e consequente procura por outros alimentos, muitas vezes do mesmo tipo. Ou seja, se um comer um chocolate, vou ficar saciado no momento em que o consumo, mas vai existir um pico de açúcar, que rapidamente nos leva a querermos outro chocolate. Alimentos que não tenham este tipo de hidratos de carbono simples são, por exemplo, o arroz, o pão e as leguminosas.

Por outro lado, também temos as gorduras onde podemos encontrar, por exemplo, as margarinas, o azeite, os óleos, os frutos oleaginosos e o abacate. Algumas delas, como o azeite, os frutos oleaginosos e o abacate são ricos em gorduras saudáveis. No entanto, qualquer alimento presente neste grupo das gorduras é densamente calórico. Por isso, devemos controlar o consumo destes alimentos, restringindo-nos ao que é mesmo essencial. As gorduras começando a acumular-se no nosso corpo vão situar-se em diferentes locais, consoante o formato do corpo de cada pessoa. No entanto, promovem menos energia, cansaço e mais volume corporal. Mais tarde ou mais cedo irão acumular-se na zona abdominal, a que chamamos gordura visceral, e vai começar a entranhar-se nos nossos órgãos vitais, como o coração, fígado, pâncreas.

A partir daí temos acrescido um risco cardiovascular que nos pode levar ao desenvolvimento de problemas de saúde como o aumento do colesterol sanguíneo, o aumento da glicose e triglicéridos. Podemos também ter um desenvolvimento de fígado gordo e toa esta acumulação pode levar a patologias mais graves, como enfartes e acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Os açúcares de adição devem ser retirar na alimentação e optarmos pelos açúcares mais saudáveis como os presentes na fruta (frutose). No que toca à gordura, deve ser utilizada em quantidades moderadas e preferir sempre as mais saudáveis como o azeite virgem extra, abacate e frutos oleaginosos (nozes, avelãs, pistácios, amendoins, caju, amêndoa).

De forma a controlarmos este tipo de componentes, deixo algumas receitas “gulosas”, mas mais saudáveis.

Ananás Assado

  • 1 Ananás maduro
  • Canela em pó, q.b.
  • Raspas de 1 laranja
  • Estrela de Anis (opcional)

Confeção:

· Descasque o ananás e corte aos cubos ou às rodelas, dispondo-o num tabuleiro.

· Acrescente a canela, as raspas de laranja e a estrela de anis (opcional), misturando todos os ingredientes.

· Leve o tabuleiro ao forno a 180ºC, durante cerca de 15 minutos.

Bolinhas de avelã e cacau (“Ferrero Rocher” saudável)

  • 100 g de avelãs picadas
  • 60g de farinha de aveia
  • 45 g de manteiga de avelã
  • 15 avelãs inteiras
  • 40g de cacau em pó magro
  • 15 tâmaras descaroçadas
  • 4 c. de sopa de leite magro/bebida vegetal sem adição de açúcares/água

Confeção:

· Num processador, colocar as tâmaras descaroçadas, a farinha, o cacau e a manteiga de frutos oleoginosos e o leite até formar uma pasta.

· Dividir a massa em 15 porções. Coloque 1 avelã no meio das porções e forme bolinhas, com as mãos humedecidas. Volte a passar as bolinhas por avelãs picadas.

· Se quiser aprimorar ainda mais a sua receita, antes de voltar a passar as bolinhas por avelãs picadas, pode passar por chocolate derretido (preferencialmente superior a 70% de cacau) e passar de seguida por avelãs picadas. Levar ao frigorífico até servir.

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *