Connect with us

Lazer & Cultura

Entrevista | Jay Oliver, o regresso de quem nunca parou

Hugo Casaca

Publicado há

em

Jay Oliver / LayJan

É um dos nomes mais conhecidos da música angolana! Tem um álbum editado em 2015 e as suas canções conquistaram Angola e Portugal, com os seus temas a serem banda sonora de festas e noites de verão! A preparar o próximo disco, Jay Oliver esteve à conversa com a Mais Educativa!

Desde criança que estás ligado à música. Como surgiu essa paixão?

Desde muito novo vivi rodeado de música. Tenho três músicos na família, mas com estilos completamente diferentes. Julgo que a minha paixão pela música se deve essencialmente a toda esta vivência…

Aos 16 anos entraste num grupo coral e aos 18 numa escola de música. Foi aí que decidiste fazer da música vida?

Sim, aos 16 anos frequentava a catequese e, no final, os meus colegas ficavam na igreja a ensaiarem para o grupo coral, passei a frequentar com eles e assim passávamos mais tempos juntos. Foi, sem dúvida, aí que comecei a descobrir o bichinho da música.

O teu primeiro álbum, Longe De Ti, foi editado em 2015 e rapidamente se tornou disco de ouro! Qual foi a sensação?

Foi fantástico, o álbum Longe De Ti não foi só o início de uma carreira, mas também de uma nova aventura! E ser tão acarinhado em Portugal, como sou em Angola… Só tenho a agradecer a Deus, por ter posto na minha vida pessoas que acreditaram e acreditam em mim.

As tuas canções, em especial a Você Me Kuia, tornaram-se um sucesso em Portugal. Como foi saber que as tuas músicas estavam em destaque noutro país?

Quando soube que a música era ouvida e conhecida em Portugal, fiquei muito feliz porque é um país que eu sempre tive curiosidade em conhecer. Não apenas eu, mas também colegas de profissão que sempre sonharam vir para a Europa. No meu caso, foi a minha agência que foi à minha procura e me deu esta maravilhosa oportunidade.

A Você Sabe Me Tocar Lá venceu o prémio Música do Ano da Angola Top Ten Awards! Os prémios são importantes para ti?

Sim, é sempre bom sermos reconhecidos e valorizados pelo nosso trabalho.

Como costumas compor as tuas canções?

Tenho escrito por cima das melodias com o piano, violão ou beats de produtores. As melodias flutuam na minha cabeça e fico a imaginar a letra. Gosto de cantar sobre coisas do cotidiano e algumas mesmo que já vivi.

Já partilhaste palco com artistas de renome, como Nelson Freitas, Matias Damásio, Anselmo Ralph! Há algum artista que sonhes em partilhar palco ou fazer uma colaboração?

Sempre admirei cantores brasileiros e afro-americanos, cantava as músicas deles em criança, mesmo não sabendo o que eles diziam, no caso dos últimos referidos. Gosto muito de ouvir Alexandre Pires e Luan Santana, e acho que seria brutal partilhar um palco com eles! De resto, também gostaria de partilhar o palco com os músicos Davido, Ludmilla e Jason Derulo! Espero também em breve ter o gosto de partilhar os palcos com um cantor que é um sucesso em Miami e tem nacionalidade Portuguesa, o Luís Gomes.

O que nos podes contar sobre o próximo álbum?

Vão conhecer um Jay Oliver diferente e com novas influências, isso é certo! E não podia deixar de fazer um álbum para agradar também a minha segunda casa que é Portugal.

Mesmo dedicado à música, ingressaste no Ensino Superior e és estudante de Gestão. O que te levou a optar por continuar os estudos?

O conhecimento não ocupa espaço e o curso de gestão ajuda-me a gerir a minha própria carreira porque, quando comecei a prosseguir o meu sonho, comecei sozinho sem ninguém a gerir.

Que conselhos dás aos mais novos que sonham em seguir música?

“Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida!”, acho que este é o melhor conselho que posso dar, não só a quem sonha em seguir música, mas a todos os jovens no geral, apesar de ser um cliché.

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade