Visite-nos em

A tua Revista

IEFP aposta na Aprendizagem

Mais Educativa

Publicado há

em

Muitos dos jovens portugueses já optaram pelos cursos de aprendizagem disponibilizados pelo IEFP, que privilegiam a inserção no mercado de trabalho e o prosseguimento de estudos de nível superior.

Esta aposta do IEFP possibilita a certificação dos formandos para que a entrada no mercado de trabalho ou a progressão dos estudos no Ensino Superior seja uma realidade. Para isso, a certificação funciona de um modo duplo: ao nível escolar e ao nível profissional.

São mais de 100 os cursos que o IEFP oferece a jovens com idade inferior a 25 anos, com o 9.º ano de escolaridade ou superior, sem a conclusão do Ensino Secundário.

Desde técnico de mecatrónica, de programação, de telecomunicações, esteticista, rececionista de hotel, gestão de redes informáticas, entre outros. São várias as opções para os jovens que escolham a aprendizagem do IEFP.

Cada um destes cursos tem a duração de cerca de dois anos e meio.

Os formandos que optem por esta modalidade de ensino têm a vantagem de frequentar cursos com uma elevada componente prática (cerca de 40% da formação acontece dentro de uma empresa), e de terem formação em Centros de Formação Profissional ou em entidades externas devidamente certificadas pelo IEFP.

Os cursos de aprendizagem são a primeira escolha de muitos jovens, que têm como foco um futuro profissional de sucesso com base no trabalho e no conhecimento prático e teórico. E embora uma parte pretenda ingressar, após a frequência do curso, no mercado de trabalho, alguns optam por prosseguir os estudos no Ensino Superior.

Os cursos de aprendizagem atribuem o 12º ano de escolaridade e uma certificação profissional.

Descobre o que deves fazer para te inscreveres nos cursos de aprendizagem:

1 – Vai ao site do IEFP

2 – Conhece os planos curriculares e escolhe o curso

que mais gostarias de fazer

3 – Faz a tua pré-inscrição

Formandos dos cursos de Aprendizagem

Vera Mendonça
Formanda do curso de Estética

Quando optei por este tipo de formação frequentava o 10.º ano de Economia. A área de Estética sempre me fascinou, informei-me e fiz a minha escolha. A família apoiou-me. Pensei inicialmente que o sistema fosse mais facilitador, afinal é muito exigente, mas essa exigência tem contribuído para a minha motivação. Não sinto dificuldades. Os grupos têm menos formandos por isso os formadores têm mais tempo e ajudam muito. Também aprendemos muito na Formação Prática em Contexto de Trabalho, é difícil, mas dá-nos muita experiência. Frequentar o curso no Centro de Formação deu-me oportunidade de conhecer outras realidades que na escola não tinha, formandos mais velhos e com outras culturas, fiquei com outra visão do que me cerca, fico mais preparada para a vida. A universidade não está fora de questão. Por agora quero aprender mais na estética, depois decido o que fazer.

Inês Nobre
Formanda do curso Técnico de Cozinha/Pastelaria

Vou acabar o meu curso em janeiro e o meu objetivo é continuar nesta área e completar o 12.º ano.
Escolhi o curso Técnico de Cozinha e Pastelaria numa fase em que para terminar o 12.º ano, só me faltava o exame nacional de matemática mas optei pelo curso do IEFP porque a minha tia tem uma doçaria regional, em Reguengos de Monsaraz, e quando eu era mais pequena costumava ir para lá “untar latas”, como se costuma dizer na área. E foi nessa altura que comecei a criar o gosto. Depois abriu o curso, a minha tia incentivou-me e eu decidi inscrever-me.
O curso Técnico de Cozinha/Pastelaria não é um curso simples, mas torna-se fácil para quem gosta da área.
Aprendemos bastante sobre cozinha, portuguesa e internacional. Aprendemos um pouco de tudo, na área, e o curso tem ainda uma mais-valia que é a possibilidade de continuarmos a estudar. Já estou na formação profissional em contexto de trabalho e agora vou dedicar-me mais à pastelaria. Mas vou conseguir manter as duas paixões: a cozinha e a pastelaria.

Luís Águas
Formando do curso de Programador de Informática

Desde quando frequentava o ensino básico que tenho interesse pela área da informática.
Enquanto completava o curso vocacional de Informática, Desporto e Eletrotecnia tive oportunidade de conhecer a oferta formativa do IEFP e especialmente do curso de Programador de Informática.
Como pretendia terminar o 12.º ano e ficar com dupla certificação, decidi inscrever-me.
A parte prática e técnica do curso de Programador de Informática é o que destaco principalmente, pois sinto que, no futuro, quando trabalhar já tenho conhecimentos importantes.
Neste momento estou a terminar o estágio e o curso e gostava de conseguir trabalho na área.

Catarina Afonso
Formanda do curso Técnico de Massagem de Estética Saúde e Bem-Estar

A minha experiência…
Nunca imaginaria seguir os estudos na vertente de curso de aprendizagem, sempre achei que seguir o ramo do ensino regular era sempre a melhor. A única coisa que sabia é que eu adorava tudo o que tinha a ver com a beleza e que queria trabalhar na área da beleza. Com muita procura consegui achar um curso que vi que tinha a ver comigo onde tinha a possibilidade de também tirar o 12.º ano.
Ao início era tudo muito novo algumas dúvidas, alguns receios, mas com o passar do tempo comecei a obter respostas às minhas dúvidas e a perder a ansiedade.
Com o tempo percebi que este curso era muito enriquecedor na área da massagem e que era uma mais-valia para o inovador mercado de trabalho.
Quanto às bases da aprendizagem, é um curso que prepara qualquer formando numa componente prática e teórica para o mercado de trabalho, exigindo a sua parte de formação em contexto de trabalho para nos ajudar a ter um primeiro contacto com o ramo em que estudamos.
Esta minha experiência não só me deu uma certificação no curso de Técnica de Massagem de Estética Saúde e Bem-Estar como também levo comigo uma experiência enquanto pessoa e boas memórias e recordações de excelentes formadores e uma excelente equipa do IEFP.
Assim posso concluir que estou bastante feliz por ter terminado o curso de Aprendizagem de Técnico de Massagem de Estética Saúde e Bem-Estar e por conseguir fazer algo que gosto com umas excelentes bases de preparação e formação para o mercado de trabalho.

André Calado
Formando do curso de Técnico de Cozinha/Pastelaria

Tomei conhecimento do curso de Técnico de Cozinha/Pastelaria depois de algumas pesquisas, numa altura em que já tinha saído da escola havia algum tempo e quando estava um pouco sem rumo.
Decidi optar pelo curso de cozinha pois vi que tinha futuro e o curso foi-me conquistando porque vi que a carreira dava possibilidade para subir.
Quando estagiei, escolhi hotéis renomados do Algarve, o Sheraton Algarve e o Cascade Lifestyle Resort, e isso ajudou-me a evoluir.
Depois de ter trabalhado com o chef que me acompanhou, acabei por ficar a trabalhar com ele, entretanto já subi de categoria.
Quero voltar a subir e sei que só vai depender do meu trabalho.

Vanessa Rodrigues
Formanda do curso de Técnico Auxiliar de Saúde

Tomei conhecimento do curso de Técnico Auxiliar de Saúde quando tinha acabado de chegar do Brasil e precisava de terminar o 12.º ano.
Depois de conhecer a oferta formativa do IEFP optei por este curso, pois já tinha formação na área de Apoio Familiar à Comunidade e como estava relacionado decidi escolhê-lo.
O curso fez sentido na minha vida de tal forma que consegui emprego assim que terminei a formação.
Um dos pontos a meu favor foi o estágio que efetuei e que me deu experiência na área que me favoreceu na hora de ser escolhida para trabalhar, uma vez que correspondia às necessidades de oferta de emprego.

[Imagens: IEFP]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *