Visite-nos em

Em destaque

Carolina Loureiro: “Trabalho todos os dias para me sentir bem comigo mesma”

Sofia Rebanda

Publicado há

em

É considerada uma das mulheres mais sexys de Portugal. Com apenas 17 anos foi para Lisboa para lutar pelo sonho de ser atriz e rapidamente a sua cara ficou conhecida na televisão portuguesa.
O espírito aventureiro, o amor pela natureza e pelo yoga marcam a atual apresentadora da SIC, que deixa sempre os que estão do outro lado do ecrã deslumbrados.

És natural de Pombal e mudaste-te para Lisboa aos 17 anos para ires atrás de um sonho. Sentes que foi o teu espírito aventureiro que te levou a dares esse “salto”?
Acho que foi a vontade de seguir os meus sonhos. Queria descobrir o mundo e ainda continuo a querer. Queria ser atriz e vim lutar por isso. Até agora tem corrido bem, mas sem dúvida que o meu espírito aventureiro me ajudou a dar este salto.

Aconselhas outras pessoas a darem um “salto” como o que deste?
Claro que sim. Se eu não tivesse tomado essa decisão, provavelmente agora não estaria a dar esta entrevista. Acredito que tudo acontece por uma razão, e se voltasse atrás daria novamente esse salto. Quando saímos da nossa zona de conforto muita coisa boa acontece.

Conhecemos a tua experiência, mas não a tua formação. Fala-nos dessa componente da tua vida.
A minha formação foi primeiro em artes visuais. Fiz o Ensino Secundário em artes. Depois, já em Lisboa, comecei a fazer vários cursos e workshops de representação. Dos cursos, fiz um casting e entrei para os Morangos com Açúcar.

Adoras viajar de mochila às costas. Pensas em realizar mais uma dessas viagens num futuro próximo?
Sim! Claro que sim. Planeio visitar a Índia. Acho um lugar fantástico e tenho muita curiosidade. Assim que consiga conciliar com as gravações e toda a minha vida, lá vou eu.

Ainda te consideras uma pessoa tímida. A comunicação e o mediatismo não te retiraram um pouco dessa timidez?
Não (risos). Continuo a ter a timidez da Carolina que saiu de Pombal aos 17 anos para concretizar o seu sonho. O mediatismo não retirou em nada, talvez até tenha ainda acrescentado mais.

Gostas de fazer meditação e yoga. Utilizas isso como uma fuga ao stress da tua rotina?
Sem dúvida. Adoro fazer yoga. Foi algo que encontrei para me equilibrar, manter o meu corpo ativo e fugir do stress que são gravações.

O que mais gostas de fazer no teu dia a dia?
Quando tenho dias livres gosto de ir até à praia, que felizmente vivo perto. Aproveitar o dia, ver o mar sempre que posso. Estar com os meus amigos, ouvir música, ler o meu livro. E acabar ou começar o diga com o meu yoga. Isto seria um dia perfeito.

És considerada uma das mulheres mais bonitas e sexys de Portugal. Como te sentes relativamente a isso?
Acho que não me consigo ver dessa forma, mas sinto-me muito grata. Trabalho todos os dias para me sentir bem comigo mesma. O resto vem por acréscimo.

Tens algum cuidado diário de beleza?
Como sou maquilhada todos os dias, tenho cuidados a dobrar. Como água micelar, cremes diários de rosto, corpo. Ao acordar e deitar.
Os cuidados básicos e suficientes que me deixem feliz e que façam bem ao meu corpo. Tento muito ouvir o meu corpo para perceber o que precisa.

Segues algum tipo de regras quanto à tua alimentação e imagem?
Não. Tento manter uma vida ativa com o yoga e com algum ginásio, mas é esse o único cuidado que vou tendo. Alimentação consigo ir comendo um bocadinho de tudo, mas vou tentando ter uma alimentação saudável.

Sentes pressão em manter uma boa imagem?
É muito relativo aquilo que é considerado uma boa imagem. Num mundo cada vez mais polissémico, em que as interpretações da imagem são cada vez mais diversas, jamais me podia sentir pressionada a ter uma imagem que agradasse só aos outros e não a mim. No entanto, numa profissão como a minha, obviamente que tem que existir uma preocupação com essa questão, afinal de contas, o meu trabalho passa também pela minha aparência. Mas uma preocupação não é sinónimo de pressão.

Eras maria-rapaz quando era mais nova. Ainda manténs um pouco essa essência da tua infância?
Sim, bastante! Principalmente porque sinto que isso se reflete no meu espírito mais aventureiro e livre. Ando sempre à descoberta, gosto muito de sentir as coisas como elas são e acho que isso é algo de infância, certo? Não necessariamente da designação “maria-rapaz”, mas sim de uma criança.

E na adolescência eras uma rapariga rebelde?
Sim. Sempre gostei de pregar algumas partidas aos meus pais, amigos, etc. Nunca fui uma criança muito bem-comportada, mas dentro dos limites claro (risos).

A arte e o desenho que influência têm para ti?
A arte influenciou em muito a minha vida. Estudei muito arte e desenho e ia muito para o meio da natureza para desenhar. Acho que ajudou em muito o meu amor e cuidado pela natureza.

Estás a trabalhar neste momento num novo projeto de ficção. Fala-nos sobre isso.
Ainda não posso falar muito sobre o meu novo projeto. Só que estou muito feliz com a oportunidade que a SIC me deu e que brevemente vão poder saber mais pormenores.

Bebida favorita: Superbock
Hobbies favoritos: Yoga
Maiores paixões: Família, amigos, animais e natureza
O que menos gostas: Trânsito
Animais de estimação: Gatos
Pessoas especiais: Mãe, pai e irmãos
Objeto mais importante: Um anel especial
Valor mais importante: Humildade
Destino de sonho: Patagônia
Filme favorito: Into the Wild
Música favorita: Society do Eddie Vedder
Desporto favorito: Yoga
Jogo favorito: Um qualquer de mímica
Ídolo(a): Mãe

[Imagem: Bold CS]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *