Visite-nos em

Em destaque

Interrail: A aventura por linhas de ferro

Sofia Rebanda

Publicado há

em

Sorriso na boca, olhos cansados, corpo dorido, coração aquecido, alma libertada, mente rejuvenescida e enriquecida de paisagens, momentos, estórias, saberes e culturas.
Esta é a caracterização do aventureiro que viaja com o desejo de descobrir o que existe além do seu horizonte.
As pernas caminham sempre, mesmo sem energia, porque a vontade de descobrir cada vez mais é sempre maior.
Quanto mais caminhas, mais liberdade sentes. E o único pensamento que vagueia a tua mente é o desejo que voes somente tu e não o tempo.
Neste verão queres gerir bem o teu tempo e dinheiro e conhecer novos lugares?
Nós damos-te uma ótima sugestão!
O Interrail é um bilhete ou passe ferroviário, disponível para residentes europeus.
Residentes de países exteriores à Europa podem viajar com o passe Eurail.

Tipo de passes:
1 Interrail Global Pass
O Interrail Global Pass permite viagens ferroviárias ilimitadas em e entre todos os 30 países participantes por um certo período de tempo (até um mês). Este passe permite viagens ferroviárias ilimitadas por toda a Europa, a partir de 217 euros.
É possível viajar em 31 países da Europa durante cinco ou sete dias, no prazo de um mês; 10 ou 15 dias, no prazo de dois meses; 15 dias seguidos; 22 dias seguidos ou um a três meses seguidos.
As viagens são efetuadas através das empresas de caminhos de ferro dos países da comunidade Interrail, com exceção do país de residência.
No país de residência é válido para fazer unicamente duas viagens:
• O percurso de ida entre qualquer estação desse país até à fronteira, aeroporto ou porto.
• O percurso de volta entre a fronteira, aeroporto ou porto e qualquer estação do país de residência.
Os 31 países onde este passe é válido são: França, Alemanha, Grã-Bretanha, Noruega, Suécia, Áustria, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Finlândia, Grécia, Irlanda, Itália, Espanha, Suíça, Croácia, Dinamarca, Hungria, Polónia, Roménia, Montenegro, Bósnia-Herzegovina, Bulgária, Republica Checa, Macedónia, Sérvia, Lituânia, Eslováquia, Eslovénia, Turquia e Portugal e ainda nas empresas de navegação ATTICA, cujos barcos fazem a ligação entre a Itália e a Grécia.
O Interrail Global Pass pode ser adquirido com um máximo de três meses de antecedência, numa estação CP com venda internacional.
No entanto, podem existir outros canais de venda internacionais que vendam com 11 meses de antecedência.

2 Interrail One Country Pass
Por sua vez, o Interrail One Country Pass serve para viajar por um só país, durante um mês, para três a seis dias de viagens, com possibilidade ainda de chegar aos
oito dias de viagens.
Este passe encontra-se disponível para qualquer um dos países aderentes, exceto para a Bósnia-Herzegovina e Montenegro.
A Bélgica, Holanda e o Luxemburgo não têm passes nacionais próprios. Estes três países estão integrados num passe comum designado por “Benelux Pass”.

Nos dois passes…
Alguns comboios e barcos têm condições especiais de utilização, que requerem o pagamento de taxas e suplementos, nomeadamente:
• Reserva de lugar (comboios de alta velocidade e comboios noturnos geralmente requerem uma reserva de assento paga);
• Utilização de lugares deitados (beliches, camas ou sleeperettes) nos comboios;
• Utilização de cabinas, beliches e assentos reclináveis nas companhias de navegação;
• Suplemento de utilização de barcos em determinados períodos.

Para planeares melhor o teu Interrail tens a App Rail Planner que tem sempre disponível (mesmo sem internet) os horários de todos
os comboios da Europa, onde quer que estejas.
A App é gratuita e está disponível para iPhone e Android: www.interrail.eu/plan-your-trip/rail-planner-app

Kit de sobrevivência para o teu interrail – o que deves levar na tua mochila

Impermeável
• Protetor solar
• Chinelos
• Garrafa de água com filtro
• Roupa e calçado confortável
• Óculos de sol
• Chapéu
• Kit de primeiros socorros (pensos, ligaduras, comprimidos para a febre e dores, toalhitas desinfetantes, luvas látex, compressas…)
• Toalha microfibra
• Cadeado
• Saco para a roupa suja
• Almofada de viagem para pescoço
• Headphones
• Livro
• Produtos de higiene pessoal (desodorizante, perfume, escova e pasta de dentes, cotonetes, shampoo e gel de banho, creme, etc.)
• Bolsas de plástico transparentes
• Carregador de telemóvel
• Powerbank
• Bikini/calções de banho
• Repelente de insetos
• Saco cama
• Fanny Pack
• Elásticos para o cabelo
• Mini escova do cabelo
• …
Nota: se viajares de avião ou outros meios de transporte que não o comboio, verifica quais são os objetos que podes levar e qual o tamanho máximo autorizado da mochila.

A organização afasta a confusão e traz a diversão!

Planeia a tua viagem
1º passo
Viajar sozinho ou acompanhado?

Podes viver esta experiência sozinho ou com um
grupo de amigos.
Caso prefiras ir nesta aventura com outras pessoas, escolhe bem quais os amigos que consideras possuir a melhor personalidade para viajarem contigo. Tem em consideração o espírito aventureiro e analisa a paciência, compreensão e dedicação/entusiasmo para iniciar o planeamento e realização da aventura.
Não viajes com um grupo composto por muitos elementos, pode gerar muita confusão e desorganização, o que acaba por criar discussões desnecessárias.

2ºpasso
Estabelece os pequenos, mas cruciais pormenores

Determina a duração da viagem, datas, locais de interesse e orçamento (quanto podes gastar).

3ºpasso
Realiza os estudos e pesquisas necessárias

– Estudo da proximidade entre os locais de interesse;
– Pesquisa de pontos de interesse nos locais de preferência;
– Estudo de quais as melhores estadias (relação qualidade/custo/distância dos pontos de interesse)
– Estudo das viagens (comboio/avião/autocarro/barco…).
Não te esqueças que apesar de teres o passe da CP para realizares o Interrail e além das viagens marcadas neste documento, terás de reservar certas viagens de comboio para garantires o teu lugar.
Consoante a rota que traçares para a tua viagem escolhe o melhor tipo de passe. Por vezes, pode compensar comprar um passe com um limite de viagens, tendo em conta o tempo que tens, os destinos onde queres ir e o preço de viagens de outros meios de transporte. Além disso, para certos países ou locais não é possível te deslocares de comboio, por isso, terás de optar por outro meio de transporte, caso seja esse o caminho que prefiras seguir. Assim, terás a oportunidade de experienciar outro tipo de transportes em diversos países.

4ºpasso
Traça o teu percurso

Define os locais a visitar e qual a ordem de visita.

5º passo
Realiza todas as marcações (estadias, viagens, divertimentos) e devidos pagamentos.

Durante Interrail não te esqueças de beber sempre muita água, dormir bem, realizar todas as refeições diárias saudáveis e definir o trajeto diário antes de iniciares o dia.
Se quiseres comprar lembranças tem em atenção quais os locais onde poderás comprá-las a um preço mais acessível. Os preços variam muito entre os diferentes locais e estabelecimentos.

É uma experiência que nos muda
e nos ensina a moldar – Cláudia Lima

“A ideia de fazer um Interrail já estava na minha cabeça
há algum tempo.
Junto com o meu namorado, decidimos ir no mês de junho. Escolhemos o passe de 10 dias num mês, e aproveitámos uma promoção de Natal no site do Interrail para comprar o passe. Ficou em 280 euros, com um seguro em caso de perda ou roubo, durante a viagem.
Sabíamos que o Interrail é uma boa oportunidade para conhecer grandes cidades europeias, sem despender muito dinheiro, então foi por aí que definimos como destinos Paris, Amesterdão, Berlim, Praga, Viena, Bratislava, Budapeste, Ljubljana, num total de 20 dias. Definimos que apanhávamos um voo de Lisboa para Paris e o regresso seria feito via Milão (Bérgamo).
Começámos em Paris onde ficámos cerca de três dias. Apanhámos um comboio de alta-velocidade, e fomos em direção a Amesterdão. Tivemos um dia para visitar o centro e outro para conhecer Zaanse Schans, uma vila pitoresca a 30 minutos de Amesterdão. Seguindo para Berlim, apanhámos o comboio cedo, e tivemos dois dias para visitar os principais pontos da cidade. Seguiu-se Praga, onde também tivemos dois dias para visitar. Em Viena, ficámos três dias, e aproveitámos um deles para fazer uma visita a Bratislava, na Eslováquia. De seguida, fomos em direção a Budapeste, onde ficámos dois dias. Por fim, depois de apanharmos um comboio de oito horas, chegámos a Ljubljana, onde tivemos um dia para descobrir o centro, e outro dia para visitar o lago Bled.
No que diz respeito aos alojamentos, marcámos quase todos via Booking, onde tivemos sempre em atenção a localização bem como a pontuação geral do alojamento. Gastámos, cada um, cerca de 350 euros, sendo que em Berlim e em Viena tivemos a oportunidade de não pagar nada.
Os voos ficaram-nos por 70 euros, e as reservas dos comboios, durante a viagem, por 65 euros.
No que diz respeito a alimentação, transportes dentro de cada cidade e visitas a atrações, gastámos
cerca de 580 euros.
Para nós, resultou ter os alojamentos marcados previamente, no entanto há quem goste de ir improvisando ao longo do caminho. São diferentes formas de viajar, mas acho que ambas resultam.
Posto isto, recomendo totalmente o Interrail a todos aqueles que gostem de viajar, pois é a viagem de uma vida e uma experiência única!”
Beatriz Oliveira

“No verão de 2018, viajei com o passe de 10 dias num mês, durante quase três semanas. Começou no dia 24 de julho. Comprei um voo de ida para Amesterdão – que seria a primeira cidade do meu percurso. Optei por viajar de avião para a primeira cidade por ser mais prático, cómodo e barato, poupando tempo e dias de viagens que se perdia para sair de Portugal e chegar ao centro da Europa (nunca seriam menos de dois dias de comboio). Fui sem estadia marcada e tive a sorte de um amigo de um amigo meu viver numa cidade perto – em Utrecht – e me dar “abrigo” durante três noites, o que me fez poupar mais de 100 euros que iria gastar se tivesse de reservar um hostel.
No dia 27 de madrugada comecei a dar uso ao passe. A paragem seguinte foi Praga.
Madruguei e parti em direção a Viena. Foi apenas uma pequena paragem para conhecer a cidade pois ao final do dia fui para Budapeste, onde passei dois dias.
Parti para Zagreb, onde passei apenas o dia e apanhei
um comboio noturno
em direção a Itália.
Passei o dia em Veneza e ao final da tarde fui para Bolonha, onde fiquei três dias. Comi a melhor bolonhesa da minha vida por apenas 6 euros e pizza a 3 euros. De seguida, o destino foi Florença. Num dos dias, apanhei o comboio de manhã cedo e dei um salto à costa até Cinque Terre. É incrível ver a diferença entre todas aquelas pequenas “cidades” sabendo que estão tão próximas. Terminados os dias em Florença, foi hora de iniciar a viagem de regresso a Portugal. Sempre de comboio pela costa. Génova, Monte Carlo, Marselha, Barcelona, Madrid, Portugal. Quase três dias inteiros de comboio, uma noite à porta da estação de Marselha e sete horas de sono numa cama em Madrid. A morrer de cansaço, mas com a sensação de que foi, sem dúvida, a experiência mais enriquecedora que vivi até hoje.
No total não cheguei a gastar 900 euros. Fui poupando bastante na alimentação pois ao almoço desenrascava-me com comida rápida (sandes ou algo do género) que preparava de manhã antes de sair do hostel. Para jantar, na maior parte das vezes, ia ao supermercado e cozinhava nos hostels, ou seja, raramente gastava mais de 4 euros. O que também me fez poupar foi tentar andar sempre em comboios sem reserva obrigatória – de salientar que praticamente todos os comboios em Espanha requerem reserva.
Aconselho todos os jovens que tenham possibilidade a aventurarem-se, a saírem da sua zona de conforto e procurarem viver algo como um Interrail.
É uma experiência que nos muda e nos ensina a moldar.”
Cláudia Lima

[Imagem: Unsplash]

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *