Connect with us

Revista do Mês

“Uma responsabilidade e um desafio enorme”

Avatar

Publicado há

em

A Mais Educativa dá-te a conhecer o que faz exatamente um enfermeiro, um importante profissional no cuidado das populações. José Magalhães formou-se em Ciências de Enfermagem na Universidade Fernando Pessoa, exerce funções de coordenação na Delegação Regional do Porto do INEM, e explica-te como é, na primeira pessoa.

Porquê a Enfermagem? O que queria mesmo era ser enfermeiro?
Escolhi a Enfermagem desde logo porque me identifiquei com os valores inerentes à profissão e que estão expressos no código deontológico. E também porque, talvez pelo seu objeto de estudo e a sua ampla abrangência de intervenção, lhe reconheci uma enorme importância social.
A Enfermagem é a especialidade que, na área da saúde, tem como objetivo prestar cuidados ao ser humano, são ou doente, ao longo do ciclo vital, e aos grupos sociais em que ele está integrado, de forma que mantenham, melhorem e recuperem a saúde, ajudando-os a atingir a sua máxima capacidade funcional tão rapidamente quanto possível.
De uma forma genérica, poderemos dizer que onde existirem pessoas, existe a necessidade de cuidados de Enfermagem.

O que faz, afinal, um enfermeiro?
O exercício profissional dos enfermeiros tem como objetivos fundamentais a promoção da saúde, a prevenção da doença, o tratamento, a reabilitação e a reinserção social, tendo uma atuação de complementaridade funcional com os demais profissionais de saúde.
O enfermeiro é um profissional de saúde altamente qualificado, dotado de competências técnico-científicas, relacionais, éticas e culturais que visam assegurar o bem-estar das pessoas, famílias e comunidades, independentemente do contexto em que estão inseridos. A sua formação e experiência permitem-lhe compreender a pessoa que necessita de cuidados de saúde, por forma a garantir uma prestação de cuidados personalizados.
A principal atividade da profissão de Enfermagem, e também a que tem maior visibilidade na sociedade, é a prestação de cuidados de saúde. Contudo, nesta profissão há outras oportunidades de trabalho, nomeadamente a docência, a gestão, a investigação e a assessoria.
É possível encontrar o enfermeiro em diversos contextos diferentes: na emergência médica pré-hospitalar e hospitalar, em cenários de catástrofe ou de missões humanitárias, no bloco operatório, na sala de partos, nos serviços de internamento hospitalar, nos cuidados de saúde primários e domiciliários, na saúde ocupacional, na saúde escolar, no desporto, na reabilitação ou até na execução de procedimentos técnicos específicos.
Assim, tendo em consideração as diferentes vertentes e os contextos possíveis para o exercício da atividade profissional, acredito que a Enfermagem seja uma opção apelativa para um grupo alargado de pessoas no momento de fazerem a sua escolha de acesso ao Ensino Superior.

Como é o dia a dia no seu emprego? Faça-nos uma “visita guiada” de um dia de trabalho.
Tendo em conta as funções que atualmente exerço, o dia de trabalho pode ser completamente diferente de dia para dia. Nos dias em que operacionalizo um meio de emergência do INEM, o dia começa com a “passagem de turno”, onde o enfermeiro que está de saída transmite as principais ocorrências do turno anterior e toda a informação operacional relevante. Depois da passagem de turno é verificada a operacionalidade de todo o equipamento e assegurado que o material clínico no meio de emergência está de acordo com as normas do INEM.
Ao mesmo tempo, estamos sempre disponíveis para qualquer situação de emergência que possa surgir, sendo o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) o serviço do INEM responsável por decidir qual o meio de emergência mais adequado a acionar em cada pedido de ajuda.
Se, por outro lado, estivermos a falar num dia de participação na formação de profissionais que vão integrar o Sistema de Emergência Médica e colaborar com o INEM, a concentração passa a ser dirigida no sentido de garantir que, ao longo de todo o dia, todos os formandos atinjam os objetivos definidos, numa formação com uma componente teórica onde são utilizados métodos expositivo/ativo, e uma forte componente prática de demonstração e role playing.
Por fim, se o dia for dedicado a funções de coordenação, o trabalho é imenso e essencialmente de backoffice.

Que conselhos pode deixar aos jovens que estejam a considerar escolher a área de Enfermagem?
Ser enfermeiro é uma responsabilidade e um desafio enorme. É um trabalho que não termina com a saída a cada turno. Além de trazermos no pensamento os dilemas de natureza técnica, ética ou legal com que nos deparamos diariamente, ser enfermeiro significa estender a atividade do local de trabalho até aos restantes contextos em que estamos inseridos: em casa com a família, com os amigos, com os vizinhos, etc. É um trabalho a tempo inteiro e é importante estar à altura desse desafio.
Por isso, a quem está a considerar escolher a área de Enfermagem, deixo o conselho de que tome a decisão em consciência, que procure as suas verdadeiras motivações para se sentir bem consigo próprio, e se encontrar na profissão de Enfermagem um caminho que, em algum momento, convirja com as suas motivações, então não hesite e coloque nela tudo o que é.

[Entrevista: Tiago Belim]
[Fotos: cedidas pelo entrevistado]

Advertisement
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *