Visite-nos em

Guia de Acesso ao Ensino Superior 2017

Aprender a gostar de ensinar

Avatar

Publicado há

em

Quando escolheu o curso de Educação Básica, a Maria Beatriz Gil fê-lo sem grande convicção. Mas soube aprender a gostar da área e da ideia de ser professora, e é isso que a motiva atualmente a ser a melhor aluna possível.

Nome: Maria Beatriz Gil
Universidade/Faculdade: Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Beja
Curso/Ano: 3º ano de Educação Básica
Objetivo Profissional: Ensino Pré-Escolar e 1º Ciclo do Ensino Básico

Porque é que escolheste esta área de formação?
Na verdade, quando escolhi o curso não sabia ao certo para o que ia. Provavelmente é o que acontece com muitos jovens, e é difícil decidirmos o que queremos fazer para o resto da vida. No meu caso foi um tiro no escuro, mas acabei por compreender a importância do meu curso e comecei a desenvolver um gosto enorme pela minha futura profissão.
Contudo, nem toda a gente acerta à primeira e às vezes é preciso perder um ano ou dois sem estudar, ou entrar num curso e depois mudar, para percebermos o que realmente queremos fazer, e não há vergonha nenhuma nisso.

O que destacas no teu curso?
Talvez o maior destaque no meu curso sejam as saídas profissionais. É um curso bastante abrangente ao nível dos conteúdos lecionados, que proporciona um grande leque de escolhas no mestrado. Podemos ser educadores de infância, professores de 1º ou de 2º Ciclo. No mestrado direcionado para os professores de 1º e de 2º Ciclo existem ainda diversas variantes. No curso, as aulas são apelativas e interessantes.

“Dei um tiro no escuro, mas acabei por compreender a importância do meu curso e comecei a desenvolver um gosto enorme pela minha futura profissão.”

Quando escolheste o curso, olhaste para o fator emprego? O que esperas que ele te proporcione na altura de entrar para o mercado de trabalho?
Como já referi anteriormente, a escolha do meu curso foi basicamente sem pensar. Tive sorte com a escolha que fiz, e hoje vejo-me a seguir esta profissão com muito gosto.
Quanto à empregabilidade do meu curso, não tem a melhor fama. Mas qual é a área que apresenta boa empregabilidade no momento? O importante é escolhermos uma área de que gostemos.
Quando entrar para o mercado de trabalho espero duas coisas: Crescer todos os dias enquanto professora e tirar o máximo proveito desta profissão. Acredito que, apesar de trabalhosa, será extremamente recompensadora e gratificante.

O que muda do Ensino Secundário para o Ensino Superior?
Ocorrem algumas mudanças, sobretudo se tivermos de mudar de cidade. Passamos por várias fases de adaptação, muitas das vezes ficamos longe da família e dos amigos, o que ao início pode custar. Mas com o tempo conhecemos pessoas novas e locais novos onde passamos a sentir-nos bem.
Nas aulas também há diferenças. Convém não faltar às aulas, pois no Ensino Superior não existem manuais e é preciso tirar apontamentos, para além de usar a bibliografia recomendada pelos docentes. Às vezes, com alguma sorte, há professores que fornecem os documentos passados em aula.
O Ensino Superior é mais exigente, os trabalhos são mais exigentes e os prazos mais apertados. No fundo, há mais trabalho e responsabilidade, mas por outro lado também há mais liberdade e oportunidades.

O que precisaste de fazer para te adaptares ao mundo universitário? Em que é que sentes que mudaste?
É um processo de adaptação que vai fluindo ao longo do tempo. Para mim, esta mudança teve coisas bastante positivas: Tornei-me mais independente, aprendi a gerir melhor o meu tempo, o meu dinheiro e o meu espaço. Aprendi a dar mais valor às minhas origens e às pessoas de quem gosto. E claro, aprendi a cozinhar! Às vezes, estarmos longe de casa faz-nos crescer enquanto pessoas, ver diferentes perspetivas e conhecer novos pontos de vista.

Que qualidades e competências consideras essenciais para ter sucesso no Ensino Superior?
São necessárias as mesmas competências e qualidades que é preciso ter para termos sucesso ao longo da vida. Sermos trabalhadores, competentes, bons ouvintes, estarmos atualizados… É extremamente importante termos opinião sobre os assuntos e sermos capazes de argumentar. Mas o mais importante é gostarmos do nosso curso e querermos aprender sempre mais.

Na tua opinião, porque devem os jovens escolher esta área de formação?
Um educador/professor desempenha um papel importantíssimo na nossa sociedade. Na verdade, onde está a base de tudo? Na educação, claro. Para tal, é necessário termos bons profissionais nesta área, e é preciso apostar nela.
Por isso, se querem realmente pertencer a ela, se têm gosto em ensinar e instruir e se sabem o valor desta profissão, abracem-na com o maior dos orgulhos. Mas tenham em mente que, para o fazer, os pré-requisitos não se resumem a gostar de crianças!

[Foto: cedida pela entrevistada]

Esta entrevista é parte integrante do Guia de Acesso ao Ensino Superior 2017/18 da Mais Educativa, disponível para consulta aqui.

Publicidade
Clica para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Trending

PGlmcmFtZSB3aWR0aD0iMTAwJSIgaGVpZ2h0PSIxMDAlIiBzcmM9Imh0dHBzOi8vd3d3LnlvdXR1YmUuY29tL2VtYmVkL3ExY3hNUW90YnZRIiBmcmFtZWJvcmRlcj0iMCIgYWxsb3dmdWxsc2NyZWVuPjwvaWZyYW1lPg==