Connect with us

Novidades

67% da vida selvagem poderá desaparecer até 2020!

Publicado há

em

O Fundo Mundial para a Natureza já deu o alerta: A vida selvagem global poderá sofrer uma redução de até 67%, até 2020.

O problema está no impacto das atividades humanas no planeta, de acordo com o relatório Planeta Vivo. Segundo este documento, o ser humano está a subjugar o planeta Terra de uma forma “sem precedentes”, em grande parte devido aos seus hábitos de consumo, tanto no abastecimento como na alimentação.

Os dados apresentados no relatório não deixam margem para dúvidas. Entre 1970 e 2012, as populações globais de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis decresceram 58%. Estes dados podem implicar uma redução, em dois terços, das populações globais de animais num período de apenas 50 anos, até 2020.

Apesar disso, para a WWF Internacional a humanidade tem as ferramentas necessárias para solucionar este problema, mas para isso é preciso que a sociedade “encare seriamente a preservação de um planeta vivo que garanta a nossa própria sobrevivência e prosperidade”, segundo Marco Lambertini, diretor geral desta entidade.

A produção de alimentos é a principal causa da destruição dos ‘habitats’ naturais e da sobreexploração de animais selvagens, de acordo com o documento apresentado. “Atualmente, a agricultura ocupa cerca de um terço da área total da Terra e é responsável por quase 70 % do uso da água”, pode ler-se no mesmo.

Repensar a forma como produzimos e consumimos, bem como uma mudança urgente do comportamento individual, das empresas e dos governos são opções que devem ser postas em prática o quanto antes, na opinião da WWF Internacional. A entidade tem a esperança de que 2020 possa ser um momento de viragem nesta situação, com o início dos compromissos assumidos no acordo de Paris, com a redução de emissões de gases com efeito de estufa a ser encarada como prioridade máxima. Também nesta altura entrará em vigor o novo plano de desenvolvimento sustentável do planeta.

[Fonte: WWF Internacional]

Publicidade
Clica para comentar

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Publicidade

Artigos recentes

Publicidade

Noticias

Publicidade